sábado, janeiro 31, 2009

"Golpe de estado" em curso #2

Capa do semanário Sol

"Golpe de estado" em curso #1

Capa Correio da Manhã de 31 de Janeiro de 2008

Falta de espaço

O mundo da comunicação social apareceu esta semana absolutamente dividido entre aqueles que querem depor o primeiro-ministro a todo o custo e os que o apoiam de olhos fechados. De um lado o militantismo; do outro o servilismo.
Entre a maldade e a Fé, parece às vezes não haver espaço para o jornalismo profissional, substantivo, das notícias, que dê às pessoas os elementos para pensarem e tirarem as suas próprias conclusões(...)

Editorial de João Marcelino do DN

sexta-feira, janeiro 30, 2009

A questão do número é mais complicada do que parece

E eis que surge aqui uma pergunta importante: sabe o tamanho do soutien que usa? A maioria das mulheres não sabe. A questão do número é mais complicada do que parece e, pelos vistos, reconhecida em todo o mundo.
Caso contrário por que haveria de existir um "conversor internacional de tamanho de soutiens" (http://www.85b.org/bra_calc.php)?

in publico.pt

quinta-feira, janeiro 29, 2009

Pontes suspensas


"Os soutiens são como pontes suspensas, é preciso um soutien bem pensado em termos de engenharia para que os ombros não sejam sobrecarregados e para garantir que o peso é bem distribuído.
Soutiens que não sejam do tamanho correcto vão afectar os ombros e o peito e seguramente vão provocar dores nas costas."

O especialista da British Chiropractic Association , Tim Hutchful
in publico

quarta-feira, janeiro 28, 2009

O contador de histórias


in publico

A gestão one-to-one

"O que verificava é que o tempo ia correndo e que o modelo de gestão era muito one-to-one. Oliveira e Costa despachava com as pessoas individualmente" e quase não havia reuniões, nem actas. "Não tinha quaisquer factos concretos para apresentar [a António Marta], apenas queria estar tranquilo", disse Dias Loureiro.

in publico.pt

Sair enquanto era tempo

Vendi as minhas acções e saí da SLN por estar preocupado.

Dias Loureiro no Parlamento
in Negocios.pt

Com uma família assim, ninguém precisa de adversários políticos (*)

Júlio Monteiro, tio de José Sócrates, confirmou ontem que o seu filho invocou o nome do primeiro-ministro para obter vantagens junto do empreendimento Freeport, em Alcochete, cujo licenciamento está a ser investigado por autoridades portuguesas e britânicas, por suspeita de corrupção.

in publico
(*) Marcelo Rebelo de Sousa na crónica semana da RTP

Economia imoral

A Pfizer comprou a Wyeth por 68 mil milhões de dólares (cerca de 52 mil milhões de euros), criando um gigante com 75 mil milhões de dólares de volume de negócios. Com a fusão, confirmada ontem oficialmente, 19 mil trabalhadores vão ser despedidos.

in publico.pt

terça-feira, janeiro 27, 2009

A crise não é para todos #2

72 mil despedimentos em apenas um dia nos Estados Unidos e Europa

in publico.pt

Crise não é para todos

Crise: Lucro da McDonald`s sobe 80 por cento em 2008

in RTP

Política europeia (in)comun

Os países da União Europeia não conseguiram chegar hoje a um acordo para ajudar o Presidente norte-americano Barack Obama a fechar a prisão de Guantánamo, acolhendo os prisioneiros aí encarcerados.
Os Estados-membros decidiram que cada nação terá que decidir se quer ou não acolher os reclusos. Foi esta a conclusão saída de uma reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos Vinte e Sete, a pedido de Portugal.

in publico.pt
foto: Jakub Strouhal

segunda-feira, janeiro 26, 2009

Será então fascista?

"Às vezes até me dizem: "tu és um comunista".
Mas não sou, sou exactamente ao contrário. "

Joe Berardo in Publico.pt

sexta-feira, janeiro 23, 2009

A radicalidade da discrimicação

"Os casamentos entre homosexuais são (questões) de consciência complicadas, não são esses os problemas fundamentais... mas há certos radicais que querem ir adiante para mostrarem que são de esquerda", disse Mário Soares.

in publico.pt

De perto ninguém é normal

Extraído de Vaca Profana de Caetano Veloso

quinta-feira, janeiro 22, 2009

The times They are a changin´

Precisamos de um novo Keynes e de um novo Roosevelt, mais do que regressar a Keynes e a Roosevelt.

Pedro Adão e Silva in Diário Económico

Sensibilidade e bom senso

Guta Moura Pinheiro, gestora cultural

Sei-os capazes das maiores delicadezas e arrebatamentos, mas também os sei distraídos e em círculo, sem verem que o que era já não lá está ou sem verem o que é fundamental.
Têm uma doçura imensa, alguns, e quando vivem bem a sua sensibilidade, a de lá bem de dentro, sem medo, derrubam-nos.

Guta Moura Guedes, gestora cultural, entrevistada por Ana Sousa Dias em resposta a "O que é que eu sei sobre os homens?"
in Pública

quarta-feira, janeiro 21, 2009

Um futuro de paz e dignidade

Quanto à nossa defesa comum, rejeitamos como falsa a escolha entre a nossa segurança e os nossos ideais. Os nossos Pais Fundadores, face a perigos que mal conseguimos imaginar, redigiram uma carta para assegurar o estado de direito e os direitos humanos, uma carta que se expandiu com o sangue de gerações. Esses ideais ainda iluminam o mundo, e não vamos abdicar deles por oportunismo.

E por isso, aos outros povos e governos que nos estão a ver hoje, das grandes capitais à pequena aldeia onde o meu pai nasceu: saibam que a América é amiga de todas as nações e de todos os homens, mulheres e crianças que procuram um futuro de paz e dignidade, e que estamos prontos para liderar mais uma vez.

Barack Obama no discurso de investidura como Presidente

It´s a kind of magic

A Obama já não basta o carisma, precisa agora de um "realismo mágico".

Jorge Almeida Fernandes in Publico

terça-feira, janeiro 20, 2009

Esperança: ergue-se ou retira-se?

foto: JEWEL SAMAD
in Meia Hora

"Para nós, estes foram os dias mais emocionantes de sempre, temos a certeza de que nunca nos vamos esquecer"

Hanna Leblanc, Emma Baker e Emily Proulx, estudantes Norte Americanas coemntando a tomada de posse de Barack Obama
in Publico.pt

"Vamos poder dizer aos nossos filhos que vimos a História a acontecer"

Emma Baker, Estudante Norte-Americana comentando a tomada de posse de Barack Obama

Falcões

A tragédia Bush fica para a história como um intervalo de irracionalidade onde a ganância de alguns arrastou multidões para a miséria

António José Teixeira in Diário Económico

segunda-feira, janeiro 19, 2009

A falar é que a gente se entende #2

Os socialistas precisam de reconhecer que, se se aproximassem mais dos partidos à sua esquerda, e não dos partidos à sua direita, como têm efectivamente feito, poderiam formar um bloco político (e social) mais forte no combate às desigualdades sociais, em geral, e à direita social e política, em particular.
A extrema-esquerda precisa não só de ultrapassar algum do seu sectarismo e da sua cultura de contra-poder, mas também de perceber que, primeiro, o seu principal adversário não pode ser o PS e, segundo, se deixasse a porta entreaberta para possíveis entendimentos não só poderia capitalizar mais nas urnas como poderia também ganhar maior credibilidade entre os portugueses e maior capacidade de influência na política portuguesa, nomeadamente para corrigir o “enviesamento do sistema partidário para a direita”.
E com uma maior clarificação ideológica ganharia também a democracia portuguesa.

André Freire in Ladrões de Bicicletas

A falar é que a gente se entende

Em Portugal, quando se fala de cooperação entre as esquerdas, geralmente as várias forças acusam-se mutuamente.
Para justificarem a quase impossibilidade de entendimentos, os socialistas acusam as forças à sua esquerda de sectarismo e de fazerem do PS o seu principal adversário.
Por seu lado, também para justificarem a quase impossibilidade de entendimentos, os bloquistas (e os comunistas) acusam o PS de executar políticas de direita e daí o obstáculo quase intransponível para se firmarem acordos.
A verdade é que, do meu ponto de vista, todos precisam de fazer o seu papel numa eventual aproximação.

André Freire in Ladrões de Bicicletas
spazio vuoto
foto: L'Astronaut De La Mer

sábado, janeiro 17, 2009

quinta-feira, janeiro 15, 2009

Teste chumbado

In general, a war must pass three tests to be justified. A country must first have exhausted all other means of defending itself.
The attack should be proportionate to the objective. And it must stand a reasonable chance of achieving its goal.

Extraído de The Economist

quarta-feira, janeiro 14, 2009

O amor é revolucionário #2 (*)

“Cautela com os amores. Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam.”

Cardeal patriarca de Lisboa, José Policarpo numa conferência na Figueira da Foz
(*) Cineasta Raquel Freire entrevistada por Carlos Vaz Marques em Pessoal e Transmissível


terça-feira, janeiro 13, 2009

O amor é revolucionário

Cineasta Raquel Freire entrevistada por Carlos Vaz Marques em Pessoal e Transmissível
in TSF


segunda-feira, janeiro 12, 2009

domingo, janeiro 11, 2009

sábado, janeiro 10, 2009

foto: gabriele chiapparini

O nosso fado

“Estamos a terminar um ano particularmente difícil da vida nacional. Como sabem, por esse mundo fora - na Europa, na América, no Japão - os tempos têm sido de dificuldades. (...)"
Durão Barroso, Mensagem de Natal 2003

“A situação do País, todos o sabemos, é uma situação difícil. E é especialmente difícil, nunca o esqueçamos, para aqueles que têm mais frágeis rendimentos ou que sofrem o flagelo do desemprego. ”José Sócrates, Tomada de Posse do Governo, Março de 2005

“Os portugueses sabem bem das razões que levaram o País à situação em que hoje se encontra: sabem do fracasso da governação nos últimos três anos; sabem que tivemos duas graves recessões económicas; sabem que essas recessões provocaram um significativo aumento do desemprego - que ainda hoje se faz sentir - e sabem que, afinal, o problema do défice orçamental se agravou, em vez de ser resolvido” José Sócrates, Debate Estado da Nação, Maio de 2005

“Esta é a terceira vez na História da democracia portuguesa que um Governo do PS é chamado a resolver um problema orçamental grave e uma situação económica difícil.(...)”. José Sócrates, Apresentação do Orçamento de Estado 2006

“Num tempo de sérias dificuldades, como é aquele em que vivemos, (...) Que não percam tempo e energias em recriminações sobre o passado e pensem no futuro do País, porque é esse que agora interessa”Cavaco Silva, tomada de pose, Março 2006

“O ano que hoje começa é crucial para o futuro do nosso País. (...) O quadro internacional apresenta-se particularmente difícil. (...)”.Cavaco Silva, Discurso de Ano Novo 2007

Extraído de Pedro Rolo Duarte

sexta-feira, janeiro 09, 2009


Todos estão convidados para o Sem Calças! '09 Lisboa, que se vai realizar no dia 10 de Janeiro às 15h00.
Mais pormenores em http://improvlisboa.blogspot.com/

quinta-feira, janeiro 08, 2009

Intolerável

É intolerável, é inaceitável e é execrável a chacina que o governo de Israel e as suas poderosíssimas forças armadas estão a executar em Gaza a pretexto do lançamento de roquetes por parte dos resistentes (“terroristas”) do movimento Hamas.

Fernando Nobre presidente da AMI – Assistência Médica Internacional

terça-feira, janeiro 06, 2009

Será que, para não correrem o risco de serem novamente vítimas, os israelistas estão dispostos a transformarem-se novamente em carrascos?

Fernando Alves em Sinais
in TSF

Mas em não chego a ser pobre, eu sou podre! #2

Cerca de três quartos dos 2,5 milhões de reformados por velhice e invalidez em Portugal, incluindo os da função pública, recebem uma pensão de valor até um salário mínimo nacional, estima a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP).

in publico.pt

segunda-feira, janeiro 05, 2009

Mas eu num chego a ser pobre eu sou podre! (*)

A criminalidade é transversal às classes sociais.
No entanto, nas cadeias 97% das pessoas detidas são pobres.

Marinho Pinto, Bastonário da ordem dos advogados, entrevistado pela Lusa
(*) Extraído de "Resto do mundo" do rapper brasileiro Gabriel o Pensador

domingo, janeiro 04, 2009

sábado, janeiro 03, 2009

sexta-feira, janeiro 02, 2009