segunda-feira, novembro 30, 2009

Economia nova

“o que podia objectivamente ajudar as pequenas e médias empresas e a economia no seu geral era os custos do dinheiro serem mais baratos”.

“Quando estas [as empresas] recorrem aos serviços financeiros, não terem empréstimos tão caros, baixar-se os preços dos produtos energéticos, dos combustíveis, criar-se estruturas de administração pública mais eficazes que não as desgastem na burocracia, reduzir os custos das comunicações e telecomunicações”, defendeu.

“Os grandes grupos que dominam estas áreas transformaram-se em plataformas de acumulação de riqueza desmedida para os grandes accionistas e isto atrofia a estrutura económica toda”, acrescentou.

Secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva
jornal i, 29nov09

All you need is love


"Eu não tive grandes amores."











Amália Rodrigues falando de si própria
numa entrevista publicado pelo semanário
Sol,13nov09

domingo, novembro 29, 2009

Um filme dejá vu de intolerência

Os suíços decidiram hoje em referendo proibir a construção de minaretes (torres das mesquitas), com 57 por cento dos votantes a pronunciarem-se nesse sentido, segundo os resultados definitivos do escrutínio.

in publico.pt
Em ti respiro
em ti eu provo
por ti consigo

esta força que de novo
em ti persigo
em ti percorro

cavalo à solta
pela margem do teu corpo

Cavalo à Solta de Ary dos Santos

sábado, novembro 28, 2009

sexta-feira, novembro 27, 2009

Road to everywhere

"É engraçado, nunca conduzi a minha vida. Nem sei quem a conduziu por mim."

Amália Rodrigues falando de si própria numa entrevista publicado pelo semanário Sol,13nov09

quinta-feira, novembro 26, 2009

Pode alguém ser quem não é?

O povo gosta da Amália. E a Amália gosta da Amália?

Eu? Gosto da Amália. E sabe porquê? A Amália é o que é. Não tenho exigências de coisa nenhuma. Não sou capaz de magoar ninguém.

Amália Rodrigues falando de si própria numa entrevista publicado pelo semanário Sol

quarta-feira, novembro 25, 2009


Don´t be squared.
I am here now
I am never leave you again.
I am here.

Extraído do filme Afterwards realizado por Gilles Bourdos

terça-feira, novembro 24, 2009

Dificuldades em comentar

Já agora, que apreciação lhe merece a extinção do "Jornal Nacional" de sexta-feira?

Quando há um programa que não cumpre as regras, não honra as princípios éticos e deontológicos do jornalismo, não respeita a própria civilidade no tratamento das pessoas, confunde jornalismo com militância, tenho dificuldade em comentar...

José Alberto de Carvalho, jornalista, Jornal de Noticias,24nov09

segunda-feira, novembro 23, 2009



Someone once told me: the wonder of life is now and here
Life is full richness, gestures, life, laughter and the joy we share (...)
Share happiness, live every instant, and above all, don´t get obsset when you think of me
And remember, don´t be ashamed to tell people you care about, that you love them.

Extraído do filme Afterwards realizado por Gilles Bourdos

sábado, novembro 21, 2009

Lágrimas de crocodilo

“Sinto-me envergonhado pela maneira como ganhámos e lamento pelos irlandeses, que definitivamente mereciam estar na África do Sul . "
Jogador francês de futebol,Thierry Henry, após polémica qualificação da França para o Mundial, impulsionada pela mão do avançado no lance do golo de Gallas.

sexta-feira, novembro 20, 2009

quarta-feira, novembro 18, 2009

Justiça de Fafe

Se fossem inócuos tais conteúdos, qualquer deles poderia ter vindo logo a público dizer isso mesmo, dissipar dúvidas com a sua palavra autorizada e acalmar a opinião pública.
Ninguém discutiria então a aplicação da lei.

Mas agora, mandadas destruir as certidões (...), pode sempre pairar a suspeita de que esses conteúdos não eram afinal tão inócuos quanto isso e apontavam para qualquer coisa de política e juridicamente tão desconfortável que só um procedimento meramente formal conseguiu travar outros desenvolvimentos.

Vasco Graça Moura in DN

Há malta que vive mal com a democracia

Elegeram essa gente? Pois têm o que merecem… Assoem-se lá a esse guardanapo. Besuntem- -se com o resultado.
Amanhã ainda vai ser pior...

Vasco Graça Moura in DN

"Perderam-se 178 mil empregos este ano e 77 mil na anterior legislatura" (*)

foto: reuters
(*) publico.pt

Uma questão de dignidade #2

O PSD defende a solução inglesa, que é um casamento sem o nome casamento. Mas vocês querem o nome. O símbolo é assim tão fundamental?

É. (...) a nossa vida é simbólica, organizamos a nossa percepção do mundo através de símbolos. Eu digo às pessoas que se um determinado segmento da população pode aceder a uma coisa chamada casamento e há outro segmento específico que só pode aceder a uma coisa chamada união de facto, mesmo que tenha os direitos iguais, estou a dizer que há uma hierarquia e que uma coisa é mais digna do que outra.
Não estou a reconhecer igual dignidade.

Miguel Vaz de Almeida, deputado do PS
jornal i,14nov09



terça-feira, novembro 17, 2009

Uma questão de dignidade

Temos uma maioria da população que pode escolher entre não fazer nada, viver em união de facto ou casar civilmente. E temos uma minoria que só pode escolher entre não fazer nada e viver em união de facto.
E não pode aceder à fórmula que o Estado reconhece como a mais digna ou a mais completa.
Ao impedir essa minoria de aceder a isso, está a dizer que as suas relações não são dignas.

Miguel Vaz de Almeida, deputado do PS
jornal i,14nov09

segunda-feira, novembro 16, 2009

Ó tempo volta para trás

"Há 11 anos ganhava mais do que ganho hoje."

Uma de muitas conversas de café

domingo, novembro 15, 2009

Rendimento máximo garantido

"ele [Armando Vara] também tem direito a viver."

Jo Berardo, membro do conselho de remunerações do BCP, comentando a não suspensão do vencimento do vice-presidente do BCP, Armando Vara, apesar de suspenso das suas funções.
Segundo informação da SIC, as remunerações brutas de Vara totalizam 0,5 milhões de euros/ano
in sic, 14nov09

"Muco nasal" teria ficado melhor

"(...) nunca esquecerei a imagem daquele balneário em peso a chorar baba e ranho na hora da despedida de Paulo Bento”, disse o presidente do Sporting

in publico.pt

sexta-feira, novembro 13, 2009

Quando a caricatura mascara o preconceito

"Porque se duas pessoas do mesmo sexo se podem casar não há razão para proibir o casamento a termo certo (5, 10, 20 anos) ou o casamento poligâmico (um homem e três mulheres, uma mulher e dois homens)".

Maria José Nogueira Pinto, "Diário de Notícias", 12-11-2009

Quem nunca ofendeu que atire a primeira pedra

"O casamento é uma instituição única", disse Manuel Morujão. E será "uma ofensa ao verdadeiro casamento" introduzir a questão do estatuto de casamento para os homossexuais, com ou sem possibilidade de adopção, disse.

Porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, padre Manuel Morujão

quinta-feira, novembro 12, 2009

Juízes estranham tráfego de influências

Juízes estranham conhecimento antecipado de acórdão
Godinho, em prisão preventiva, foi escutado a dizer a Vara que ganhou caso na Relação, quatro dias antes da decisão ser proferida.

in publico.pt

Quando reduzem os custos do trabalho a questões de economia

O trabalho e o emprego têm dimensões simultaneamente económicas, sociais, culturais e políticas. As políticas salariais não são uma questão meramente da economia.
A própria economia não melhora apenas por factores quantitativos: há também os de ordem social, cultural e política, que muitas vezes têm mais influência que os factores económicos.

Carvalho da Silva in jornal i,10nov09

Às vezes o amor não basta

"Pensámos que conseguiríamos, com amor mas às vezes o amor não basta"

Teresa Enke viuva do jogador de futebol Robert Enke, comentando o suicidio do seu marido motivado por graves e continuas depressões

quarta-feira, novembro 11, 2009

Liberta o voyeur que há em ti

As formas sinuosas de contornar o preconceito


in publico.pt

É tempo de não sermos governados pelas opiniões tecnocráticas e de a política ter o seu papel.

Se os salários acompanhassem a evolução da produtividade em Portugal seriam hoje bem maiores. Se há conceitos manipulados são os da produtividade e competitividade. Os nossos trabalhadores são tão produtivos como os outros, o que é demonstrado, por exemplo, pela emigração.
Mas um trabalhador com uma enxada, por mais que cave não compete com um tractor: tudo depende do produto em causa e das técnicas.
É tempo de não sermos governados pelas opiniões tecnocráticas e de a política ter o seu papel.

Carvalho da Silva in jornal i,10nov09

terça-feira, novembro 10, 2009

Quando é fácil falar da fome dos outros

O dr. Silva Lopes que experimente viver com o salário mínimo nacional dois ou três meses e depois se pronuncie.

Carvalho da Silva em resposta ao economista José Silva Lopes que disse há dias que aumentos salariais em 2010, com as empresas fragilizadas pela crise, seriam "fábricas de desemprego"
in jornal i



"Não queria que a RDA desaparecesse; era o meu país, único"(*)

(*) Christianne Mlynski, 44 anos, berlinense

"Chorei quando o muro caíu" (*)

(*) Burkhart Veigel, 71 anos, ajudou 650 pessoas a fugir da ex-RDA entre 1961 e 1970
fonte: el pais

segunda-feira, novembro 09, 2009

domingo, novembro 08, 2009

A queda de outro muro?

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown defendeu este sábado que deveria ser criada uma taxa sobre as transacções financeiras internacionais para financiar futuros planos de salvamento dos bancos.

in publico.pt

sábado, novembro 07, 2009

A "imitação" do célebre beijo de Honecker, então líder da antiga RDA e Brejnev, da antiga URSS
foto: el pais

quinta-feira, novembro 05, 2009

Fundamentalistas

O presidente do Banco Central Europeu apelou hoje aos Governos que apresentem o mais rápido possível planos ambiciosos de redução do défice público a médio prazo.

in publico.pt, 05nov09

terça-feira, novembro 03, 2009

A coisa nossa

"Não há máfia em Portugal porque não é preciso ameaçar gente com uma pistola. Basta abanar umas notas".

João Miguel Tavares, "Diário de Notícias", 03-11-2009

segunda-feira, novembro 02, 2009

You do something to me
foto: kat mcdonald

domingo, novembro 01, 2009

begin to hope
foto: kat mcdonald

Artistas

Luciana Abreu e Tony Carreira foram os famosos mais votados pelo público português no concurso “Os Mais Sexy de Portugal”, promovido pelo Salão Internacional Erótico de Lisboa 2009.
O filho de Tony Carreira foi o segundo preferido do público com 28.04% dos votos, seguido do Primeiro-Ministro José Sócrates com 2.80%.

in destak